Player

.

Um passo em frente nesta longa escadaria rumo a um sentimento de concretização pessoal. Sou, na minha essência, a mesma... mas visto-me mais de acordo com uma filosofia que é minha, que tomo como minha. Aquela que me autoriza a errar, a arriscar, a ser uma mente aberta, a pagar preços altos pelo que, para mim, faz todo o sentido... momentos de felicidade!

Meu Mundo

"Não sou para todos. Gosto muito do meu mundinho. Ele é cheio de surpresas, palavras soltas e cores misturadas. Às vezes tem um céu azul, outras tempestades. Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos. Mas não cabe muita gente. Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso... São necessárias!" ***Caio F. Abreu

28 de setembro de 2014

Diariamente

Diariamente eu chego a simples conclusão de que a vida é tão maravilhosa porque também é feita de colos, de feridas que cicatrizam, de amigos que celebram ou choram junto, de café coado com coador de pano, de gente que pega ônibus ou faz caminhada pela manhã, de quem planta o que se pode comer, de vizinhos que alimentam seus gatos com comida de gente.

Que a vida é feita de algumas pessoas que dir...
ecionam todo o seu potencial criativo para melhorar a qualidade de vida de gente que eles nem conhecem. Que é feita de e-mails que chegam recheados de saudade e de cartas extraviadas solitárias numa gaveta de um correio qualquer. De muros e pontes e cais. De aviões que suprimem distâncias e de barcos que chegam. De bicicletas que atravessam cidades. De redes que balançam gente. De rostos que recebem beijos. De bocas que beijam. De mãos que se dão.

Que existem pessoas altamente gostáveis, altamente rabugentas, altamente generosas, pessoas distraídas que perdem as coisas, mal educadas que buzinam sem necessidade, pessoas conectadas que se preocupam com o lixo, pessoas apaixonadas e apaixonantes, possíveis e impossíveis, pessoas que se entregam, pessoas que se privam, pessoas que machucam, pessoas que chegam pra curar; desencadeadores de poemas, de sorrisos, de lições de vida que ficarão guardadas para sempre..

A vida é tão maravilhosa porque ela nos compensa com ela mesma.

Marla de Queiroz

O mais importante ...

E que o mais importante seja o amor: ele mesmo, em estado bruto até a sofisticação da evolução de ambos. Aquele que está além da dimensão homem-mulher, mas que abrange primeiramente o amor próprio, o amor à vida, o amor ao que nos fortalece, reforça nossa esperança, que nos amadurece e deixa gratos. O amor por mais um dia, por mais uma vitória, pela aceitação que supera o que antes era só uma mane...ira de admitir, mas que não nos conduzia à plenitude do que realmente a existência reservou para nós. Amor que não depende, agrega. Que não subtrai, soma. Amor que não “embarulha”, mas soa feito melodia doce. Amor que respeita a individualidade antes e apesar de qualquer coisa. Amor que nos faz enxergar o Outro como ele é sem as distorções e anestesias da carência ou quaisquer coisas que alterem nossa percepção de mundo. Sentimento que descobrimos sem medo, à flor da pele, cientes de que temos todas as ferramentas para superar conflitos, frustrações e que podemos evoluir também no que é desconfortável. Amor construído para ser saudável: sem pressa, ansiedade ou impulso. Tranquilamente o nosso coração abraça o Outro com toda a sua bagagem de potencialidades desenvolvidas e limitações. E o parceiro acha morada ali, naquele abrigo de paz. Não o único abrigo de paz, apenas mais um deles. Porque nossa vida é composta por muitas outras pessoas, paisagens, sensações que não podem ser excludentes quando decidimos nos unir. Amor de querer bem. Amor de se cuidar. Amor que sabe a hora também de deixar ir...

Tem que ser simples para ser bom.
Que assim seja. Que seja SIM.

Marla de Queiroz

só Deus conhece...

Sim, tem dores ocultas aqui dentro que só Deus conhece...e só Ele deve conhecer...
Dores tratadas aos Seus pés, amenizadas pelo calor que só há em Seus abraços...
Essas são as mais profundas, onde só o Divino tem acesso...
Essas são as que ...demoram a sarar...mas saram, porque nenhuma chaga é tão duradoura quanto a misericórdia Dele...
E nesse entremeio, entre a dor e a cura, Ele sabiamente sussurra...
- Semeia paz moça, semeia por aí algum bem de amor...
E nessa lida, de sol a sol...engraçado...parece que as dores tão incômodas dão uma diminuída, uma amansada...
Parece que esse tal de bem de amor é poderoso mesmo...
Parece que tem efeito "bate e volta"...
A gente planta e depressa colhe...
Porque não tem mais tempo pra tantos ais...

Gi Stadnicki.

 

Eu sou Índio

Se o compartilhar, o dividir para somar, faz sentido para você...então de alguma forma, você é Índio.
Se você persiste na luta pela justiça e se apega à verdade como um farol...então de alguma forma, você é Índio.
Se a idéia de UNIDADE é su...a religião...então, creia...você é de um jeito ou de outro, Índio.
E, se ser Índio passa por compreender perfeitamente o significado de abrir a alma sem medos e simplesmente se importar com o que de fato importa...
Planeta...
Espiritualidade...
Natureza...
Humanidade...
Preservação...
Respeito...
Vida!
Então, é claro...eu sou Índio.
Se algo nisso tudo realmente lhe soa familiar... você não está só. Fazemos parte de uma tribo imensa, e com muitos membros ainda perdidos...
Grande Espírito...faze-os enxergar...
Que nos achemos!
E salvemos as esperanças deste mundo que agoniza.

Gi Stadnicki.

 

Todo mundo pode sempre...

Ah sim, todo mundo pode ser um tiquinho melhor a cada dia...
Pode falar algo bom de alguém, por exemplo!
Ou permanecer em silêncio quando mil línguas se dispõem a "crucificar" seja quem for.
Pode defen...der de vez em quando, nas muitas vezes que a justiça não é sequer cogitada...
Pode fazer sua parte, e reclamar menos...
Muito do que não funciona no mundo, não é culpa do outro, é nossa. Pense bem.
Tecer um elogio, ao invés de uma intriga...não custa nada...não vai acabar o mundo se reconhecermos o valor de alguém e expusermos isso de alguma forma.
Todo mundo pode sempre, de algum jeito, direta ou indiretamente, ajudar, e muito!
Todos temos grandes poderes de transformação e cura para servir à humanidade...
Comecemos em nós...na reestruturação de nossos ímpetos, na correção de nossas manias sem graça, de "botar o outro para baixo".
Tudo isso, claro, com o exercício diário da boa vontade! Essa coisa linda que faz o olho brilhar...
E se derrama toda em esperança, luz e amor.
E transforma, de verdade, velhos cenários...porque transforma vidas.

Bem aventurados os de boa vontade!


Gi Stadnicki.

19 de setembro de 2014

Escutatória

Rubem Alves




Escutatória

Sempre vejo anunciados cursos de oratória.

Nunca vi anunciado curso de escutatória.

Todo mundo quer aprender a falar...

Ninguém quer aprender a ouvir.

Pensei em oferecer um curso de escutatória,
mas acho que ninguém vai se matricular.

Escutar é complicado e sutil.

Diz Alberto Caeiro que... Não é bastante não ser cego para ver as árvores e as flores.

É preciso também não ter filosofia nenhuma.

Filosofia é um monte de idéias,
dentro da cabeça,
sobre como são as coisas.

Para se ver,
é preciso que a cabeça esteja vazia.

Parafraseio o Alberto Caeiro:
Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito.

É preciso também que haja silêncio dentro da alma.

Daí a dificuldade:
A gente não agüenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor...
Sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer.

Como se aquilo que ele diz não fosse digno de descansada consideração...
E precisasse ser complementado por aquilo que a gente tem a dizer,
que é muito melhor.

Nossa incapacidade de ouvir é a manifestação mais constante e sutil de nossa arrogância e vaidade.

No fundo, somos os mais bonitos...

Tenho um velho amigo,
Jovelino, que se mudou para os Estados Unidos estimulado pela revolução de 64.

Contou-me de sua experiência com os índios:
Reunidos os participantes, ninguém fala.

Há um longo, longo silêncio.

Vejam a semelhança...

Os pianistas,
por exemplo,
antes de iniciar o concerto,
diante do piano,
ficam assentados em silêncio...

Abrindo vazios de silêncio...

Expulsando todas as idéias estranhas.

Todos em silêncio,
à espera do pensamento essencial.

Aí, de repente, alguém fala.

Curto.

Todos ouvem.

Terminada a fala,
novo silêncio.

Falar logo em seguida seria um grande desrespeito,
pois o outro falou os seus pensamentos...

Pensamentos que ele julgava essenciais.

São-me estranhos.

É preciso tempo para entender o que o outro falou.

Se eu falar logo a seguir...

São duas as possibilidades.

Primeira: Fiquei em silêncio só por delicadeza.

Na verdade, não ouvi o que você falou.

Enquanto você falava,
eu pensava nas coisas que iria falar quando você terminasse sua (tola) fala.

Falo como se você não tivesse falado.

Segunda: Ouvi o que você falou.

Mas,
isso que você falou como novidade eu já pensei há muito tempo.

É coisa velha para mim.

Tanto que nem preciso pensar sobre o que você falou.

Em ambos os casos,
estou chamando o outro de tolo.

O que é pior que uma bofetada.

O longo silêncio quer dizer:
Estou ponderando cuidadosamente tudo aquilo que você falou.

E, assim vai a reunião.

Não basta o silêncio de fora.

É preciso silêncio dentro.

Ausência de pensamentos.

E aí,
quando se faz o silêncio dentro,
a gente começa a ouvir coisas que não ouvia.

Eu comecei a ouvir.

Fernando Pessoa conhecia a experiência...

E, se referia a algo que se ouve nos interstícios das palavras...

No lugar onde não há palavras.

A música acontece no silêncio.

A alma é uma catedral submersa.

No fundo do mar - quem faz mergulho sabe - a boca fica fechada.

Somos todos olhos e ouvidos.

Aí,
livres dos ruídos do falatório e dos saberes da filosofia,
ouvimos a melodia que não havia...
Que de tão linda nos faz chorar.

Para mim, Deus é isto:
A beleza que se ouve no silêncio.

Daí a importância de saber ouvir os outros:
A beleza mora lá também.

Comunhão é quando a beleza do outro e a beleza da gente se juntam num contraponto.

Diferente passagens

Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala.
Você pode não entrar e ficar observando a vida.
Mas se você vence a dúvida,o temor,e entra,dá um grande passo:nesta sala vive-se !
Mas, também, tem um preço...
São inúmeras outras portas que você descobre.
Às vezes curte-se mil e uma.
O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta.
A vida não é rigorosa, ela propicia erros e acertos.
Os erros podem ser transformados em acertos quando com eles se aprende.
Não existe a segurança do acerto eterno.
A vida é generosa,a cada sala que se vive,
descobre-se tantas outras portas.
E a vida enriquece quem se arrisca a abrir novas portas.
Ela privilegia quem descobre seus segredos e generosamente oferece afortunadas portas.
Mas a vida também pode ser dura e severa.
Se você não ultrapassar a porta, terá sempre a mesma porta pela frente.
É a repetição perante a criação,
é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores,
é a estagnação da vida...
Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens!

IÇAMI TIBA

Pensamentos positivos



"Mantenha seus pensamentos positivos, porque seus pensamentos tornam-se suas palavras. Mantenha suas palavras positivas, porque suas palavras tornam-se suas atitudes. Mantenha suas atitudes positivas, porque suas atitudes tornam-se seus hábitos. Mantenha seus hábitos positivos, porque seus hábitos tornam-se seus valores. Mantenha seus valores positivos, porque seus valores... Tornam-se seu destino".

Mahatma Gandhi

Um passo...



Dê apenas um passo por mim...
Eu prometo que caminho todo o resto com você!
Caio Fernando Abreu

Delícia...