.

Um passo em frente nesta longa escadaria rumo a um sentimento de concretização pessoal. Sou, na minha essência, a mesma... mas visto-me mais de acordo com uma filosofia que é minha, que tomo como minha. Aquela que me autoriza a errar, a arriscar, a ser uma mente aberta, a pagar preços altos pelo que, para mim, faz todo o sentido... momentos de felicidade!

Meu Mundo

"Não sou para todos. Gosto muito do meu mundinho. Ele é cheio de surpresas, palavras soltas e cores misturadas. Às vezes tem um céu azul, outras tempestades. Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos. Mas não cabe muita gente. Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso... São necessárias!" ***Caio F. Abreu

6 de ago de 2014

Não me falta nada para ser feliz…”



“Atraímos para nossa vida tudo que acreditamos, e quanto mais força têm nossas crenças mais elas criam nossa realidade… mas, mesmo sabendo da força das nossas crenças na criação da nossa realidade porque, na maior parte das vezes, não conseguimos criar uma realidade mais feliz em sintonia com o que queremos?

A maior parte das nossas crenças são inconscientes e trabalham criando, muitas vezes, o oposto daquilo que gostaríamos para nossas vidas… Sabemos que o Universo manifesta mais e mais daquilo em que colocamos nosso foco com mais intensidade, mas, infelizmente, as coisas que nos puxam para baixo geralmente ganham muito mais a nossa atenção do que aquelas que nos puxam para cima e levantam nosso astral.

É muito comum a gente ver uma pessoa que acabou de receber uma bênção, seja em que área for, e, ao invés de aproveitar e viver o momento de felicidade, prefere ir para o futuro e se preocupar pensando se aquilo vai durar… se vai acontecer alguma coisa errada que vai atrapalhar, ou até mesmo no meio das coisas boas que se manifestam, buscar uma coisa, mesmo que pequena, que seja motivo de reclamação… E com isso, muitas vezes, as bênçãos acabam se transformando em preocupação e estresse.

Somos mais viciados em reclamar do que imaginamos… Mais viciados em ser vítimas que, quando algo nos tira dessa posição, dando-nos motivos para comemorar e agradecer, logo damos um jeitinho de mostrar a todos que as coisas não estão tão bem assim…

Passamos a vida querendo adquirir coisas e vamos enchendo nossos armários, nossa mente, nosso coração, mas parece que, quando conquistamos o que queremos, aquilo já deixa de ter valor e passamos para outro objetivo sem nos darmos conta que temos muito a agradecer… Enfatizamos mais o que falta do que o que já alcançamos… Colocamos mais nosso foco no que falta do que no que temos a agradecer e, com isso, continuamos a criar mais e mais situações de falta…

A gratidão é sempre algo muito positivo e quanto mais agradecemos, mais motivos aparecerão para sermos gratos…

E, sabendo disso, volta e meia, quando não me sinto bem, começo a agradecer pelas coisas boas que tenho na vida, e olha que não são poucas, mas parece que temos o vicio de só valorizar o que não temos ou o que não está dando certo e dar pouco valor ao que temos, afinal, é só olhar ao nosso redor, nas noticias que nos chegam pelos vários meios de comunicação e isso fica fácil de perceber… Sempre é dada uma ênfase muito maior ao que está ruim do que ao que está dando certo… Parece que temos um medo enorme de ser feliz e nossas crenças inconscientes vão nos mantendo nesses caminhos da falta…

Ontem cedo, acordei um pouco sem ânimo, com uma certa tristeza sem motivo aparente… Mas ainda bem que logo me lembrei da gratidão e comecei a agradecer pelas coisas boas que tenho… Fazendo uma lista e agradecendo, reconhecendo o tanto de coisas que tenho e que sou grata por isso…
Foi quando uma voz interior me orientou a ir mais profundo na gratidão… E a cada coisa que tinha motivos de ser grata, me vi reconhecendo mais profundamente que aquilo era algo que realmente tinha motivos para agradecer… Acreditando… E assim fui fazendo, devagar, com cada coisa, ao invés de só listar o que tenho a agradecer fui mergulhando em cada uma e sentindo bem no fundo do coração a gratidão e os motivos pelos quais sou grata…

Uma energia boa e acolhedora foi chegando e tomando conta daquele estado em que acordei… Senti um alivio na minha garganta e no coração… E os motivos a agradecer pelas muitas bênçãos que tenho na minha vida eram muito mais reais e palpáveis…
E me pareceu que tudo estava bem como estava… que no aqui e agora não me falta nada para ser feliz…”

Rubia A. Dantés